Menu

Blog

 05fev 

Projeto cultural que vai mapear receitas germânicas tradicionais chega a Campo Alegre

 

A segunda rodada do projeto cultural nascido em Joinville, que vai mapear a cadeia produtiva de receitas germânicas tradicionais, ocorre em Campo Alegre, no Norte catarinense. Nesta quarta-feira, 8, a equipe visita dois estabelecimentos do município, para colher detalhes sobre a preparação de um doce muito apreciado por famílias de origem alemã na época de Natal e, logo após, sobre um quitute herdado da Holanda, onde teria sido criado no início do século 20.

A primeira escala será no café colonial Delícias da Lola. Muito frequentada por turistas, a casa é administrada pela proprietária Anelore Kohlbeck, que, ao lado da mãe, mantém uma pequena produção agropecuária e cuida, ela própria, das delícias servidas no café, como geleias, biscoitos e cucas. A receita selecionada para compor o projeto tem o nome original de “plätzchens”. São as célebres bolachinhas natalinas à base de melado, cobertas com glacê e temperadas com especiarias. “Com raízes profundas na tradição alemã, também chamadas de ‘docinhos secos’, as bolachas costumavam ser feitas reunindo as famílias em momentos de confraternização que já adiantavam o Natal”, revela Anderson Retzlaff, profissional de turismo que atua como produtor local do projeto.

Também nesta terça-feira, a equipe que atua na pesquisa de mapeamento será recebida pelos empreendedores da Cervejaria Monserrat. Um dos carros-chefes do lugar está entrando no roteiro do projeto cultural: o croquete de carne de ovelha, harmonizado com cerveja artesanal. Do original “kroketten”, trata-se de uma iguaria popular na Alemanha, um acompanhamento sob medida para assados, bifes, e para pratos mais tradicionais. A versão servida na Cervejaria Monserrat, adaptada pelo chef, é inspirada na receita popular que circula na região dos Países Baixos, e usa como base a carne de ovelha, por ser muito apreciada na região.

Depois de Campo Alegre, o trabalho engloba passagens por estabelecimentos de Corupá, Jaraguá do Sul, Blumenau, Schroeder, Timbó, Brusque, Pomerode e São Pedro de Alcântara, encerrando a programação, no início de junho. Toda a pesquisa será divulgada em um site próprio, além do lançamento de um livro (impresso e digital) contemplando histórias e curiosidades recolhidas entre os produtores e de um documentário.

“Saberes e Fazeres da Gastronomia Germânica – uma Abordagem Territorializada” é um projeto realizado pela Agência Cultural AqueleTrio, por meio do Programa de Incentivo à Cultura, o PIC, do Governo do Estado de Santa Catarina, aprovado pela Fundação Catarinense de Cultura, e conta com o apoio de Hotel Tannenhof e o incentivo de Havan, Urbano Alimentos, Ciser e Celesc.

Instagram do projeto: @gastronomia_identitaria.

Comentários (0)

Os comentários estão fechados.