Menu

Blog

16mai 

Na penúltima etapa, projeto de gastronomia cultural visita a cidade mais alemã do Brasil

No coração do Vale Europeu, região turística composta por 17 municípios catarinenses, conhecida como a cidade mais alemã do Brasil, a simpática Pomerode compõe a penúltima etapa do projeto cultural nascido em Joinville, e que, desde o início do ano, vem rastreando o universo da gastronomia germânica em Santa Catarina, apurando suas adaptações ao paladar brasileiro. Oito localidades, como Blumenau, Campo Alegre, Brusque e Timbó, já foram visitadas pela equipe técnica do projeto. Depois de Pomerode, será a vez de São Pedro de Alcântara, encerrando o ciclo.

Nesta escala, nos dias 21 e 22 de maio, o roteiro prevê incursões em três estabelecimentos: o Biergarten Pomerânia, a Gruzmacher Conservas e Pomerode Alimentos. Dois pratos salgados – o einsbein (joelho de porco) com spaetzle (massa) e kraeuterkaese (queijo fundido) e o schnitzel (carne) – e uma sobremesa, o gelato spekuloos (sorvete com um tipo de bolacha), foram as iguarias eleitas para o trabalho. Como nas outras etapas, um ingrediente de cada prato selecionado fará parte do mapeamento ilustrado da cadeia produtiva, para identificar onde, como e por quem é elaborado.

O celebrado chef alemão Heiko Grabolle, do Biergarten Pomerânia, mesclou técnicas gastronômicas originárias da Pomerânia e da Baviera para recriar o tradicional joelho de porco, desde sempre um dos mais pedidos em restaurantes do seu país. O resultado, como ele se orgulha, é uma carne crocante por fora e macia por dentro, fácil e deliciosa de degustar. “A carne vai à mesa com um corte diferente do usual, que simplifica a experiência de comer um eisbein. É uma forma de valorizar a carne de porco, até hoje a principal fonte de proteína das famílias alemãs”, descreve o chef.

O projeto vem levantando muitas informações relevantes sobre a cozinha de raízes germânicas em Santa Catarina. “Em todas as visitas, temos encontrado enorme riqueza nos processos ligados à gastronomia, enaltecendo seu papel na cultura dos povos aí representados”, aplaude a coordenadora executiva, Helga Tytlik. Toda a pesquisa será divulgada em site próprio, além do lançamento de um livro (impresso e digital) reunindo histórias e curiosidades recolhidas entre os produtores e de um documentário.

Sobre o projeto

“Saberes e Fazeres da Gastronomia Germânica – uma Abordagem Territorializada” é um projeto realizado pela Agência Cultural AqueleTrio, por meio do Programa de Incentivo à Cultura, o PIC, do Governo do Estado de Santa Catarina, aprovado pela Fundação Catarinense de Cultura, e conta com o apoio de Hotel Tannenhof e o incentivo de Havan, Urbano Alimentos, Ciser e Celesc.

Instagram do projeto: @gastronomia_identitaria.

15mai 

CHRISTAL, de Timbó (SC), investe em startup mineira de tecnologia

Em mais um passo no processo de transformação digital que experimenta nos últimos anos, a holding CHRISTAL, de Timbó (SC), anuncia investimento em startup de tecnologia baseada em Juiz de Fora (MG), reconhecida por suas soluções inovadoras para gestão e automação de processos industriais. A parceira é a Sensio, fundada em 2020 e liderada pelos executivos Luiz Guilherme Pires e Renata Parma. O investimento vai permitir que a startup dobre o tamanho de sua equipe de desenvolvimento, ampliando a capacidade de atendimento ao mercado.

Com história de 51 anos, a CHRISTAL é uma multinacional brasileira que mantém unidades em Santa Catarina e na Europa, congrega cinco marcas – RUDOLPH, USITIM, RUFIX, rup!, e Movai – e tem forte atuação como provedora dos mercados automotivo, agrícola e de linha branca, entre outros segmentos. O grupo vem envolvendo seus times em um movimento de transformação entendido pelos gestores como uma jornada de reinvenção das operações. No ano passado, foi contemplado no 8º Prêmio Nacional de Inovação, da Confederação Brasileira da Indústria (CNI), na categoria médias empresas, sendo finalista em três categorias e conquistando a premiação na categoria de Inovação para a sustentabilidade.

 

A aproximação entre a CHRISTAL e a Sensio foi articulada pela rup!, unidade focada na identificação de oportunidades de colaboração e alianças estratégicas nascida em 2022, que abriu as portas do grupo para o ecossistema da inovação e para as cadeias industriais. A nova parceira da CHRISTAL foi uma das 10 selecionadas entre 1 mil inscritas em um programa para startups de Singapura — que visa alavancar empresas para atender a grandes corporações e se expandir em escala global, e figura no ranking de soluções empresariais mais inovadoras da América Latina, lançado pela revista norte-americana CIO Review.

A Sensio também foi aprovada pelo programa Rota Challenge, da Fundação de Apoio da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), destinado a promover um ambiente de inovação para otimizar processos produtivos, aumentando a competitividade, a produtividade, e reduzindo custos.

As duas partes revelam entusiasmo com as perspectivas criadas pela operação. “Avançamos com a digitalização da CHRISTAL e o aumento da competitividade. Com o investimento, poderemos capturar as melhores práticas para os nossos negócios, aumentando a eficiência das nossas operações e disponibilizar soluções para toda a indústria”, salienta Denys Afonso da Silva, CEO/CFO da CHRISTAL. “A parceria será fundamental para trazer soluções que facilitem a gestão das indústrias, tornando-as mais competitivas e eficientes. O objetivo é que o sistema trabalhe para as pessoas. Estamos empolgados demais para ver onde essa jornada vai nos levar”, endossa Luiz Guilherme Pires, CEO da Sensio.
Já foi definida uma estratégia mirando nos próximos três anos, com a oferta de soluções que simplifiquem a gestão industrial sendo impulsionadas e validadas nas fábricas da CHRISTAL. A expectativa é levar as soluções ao mercado, atendendo a empresas de pequeno, médio e grande porte. “Atuais e novos clientes receberão constantemente novos recursos e funcionalidades com o avanço almejado”, antecipa o CEO do grupo.

 

15mai 

Dona Helena, de Joinville, abre sua unidade de inovação para hospitais catarinenses

Na foto, da esq., Chander Turcatti, Irmã Neusa Luiz, Tadeu Chechi, Marcelo Pasolini (vice Ahesc) e Alcionar Marin (diretor executivo das entidades)

 

O Hospital Dona Helena, de Joinville, firmou nesta terça-feira, 14, em Florianópolis, o acordo de cooperação com as duas entidades que congregam instituições de saúde de caráter filantrópico de Santa Catarina, a Fehosc (Federação das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas do Estado de Santa Catarina) e a Ahesc (Associação de Hospitais do Estado de Santa Catarina), para fomentar a inovação no setor. A parceria abre as portas do InovaDona – Centro de Inovação do Dona Helena –, com todas as ações relacionadas, aos hospitais que tenham interesse em implementar um trabalho voltado à inovação, nos mais variados campos.

Entre outras possibilidades, o acordo tem como objetivo estimular o uso de novas tecnologias em ambientes públicos e privados, e vai oferecer aos parceiros a oportunidade de testar, mediante a chamada Prova de Conceito (POC) e sem qualquer custo, iniciativas do InovaDona ou de terceiros. “Com o apoio da Fehosc e da Ahesc, seremos capazes de realizar progressos significativos em várias frentes, desde a implementação de tecnologias inovadoras até a melhoria dos processos de atendimento”, ressalta José Tadeu Chechi, diretor-geral do Dona Helena. “Essa parceria nos permitirá explorar novas possibilidades e moldar o futuro da saúde em nosso estado.”

Gerente de inovação do hospital e head do InovaDona, Chander Turcatti lembra que o acordo que está sendo firmado atende a diretrizes que originaram a criação da unidade, em 2022, nos eixos de responsabilidade social e desenvolvimento de parcerias. O InovaDona, segundo Chander, é mais do que um conjunto de iniciativas: “É, isso sim, uma mentalidade, uma abordagem proativa para enfrentar os desafios complexos que enfrentamos no campo da saúde. É a nossa resposta à necessidade urgente de encontrar soluções criativas e eficazes para melhorar a qualidade dos cuidados em saúde”. Ele ressalta ainda que as demais instituições poderão ter acesso à plataforma de gerenciamento de inovações do Dona Helena, como também a startups vinculadas à unidade.

A Fehosc reúne 83 hospitais filantrópicos de todo o Estado, enquanto a Ahesc abrange 119 hospitais e clínicas. Dirigentes das duas entidades comemoram o acordo. “Essa parceria institucional permitirá o intercâmbio de oportunidades e conhecimento, essenciais para o enfrentamento dos desafios da área da saúde”, afirma o presidente da Ahesc, Mauricio José Souto-Maior. Para a Irmã Neusa Luiz, presidente da Fehosc, trata-se de um passo significativo rumo à excelência nos serviços prestados à população. “Representa o início de uma jornada conjunta, destinada a buscar e desenvolver projetos inovadores. Além disso, visa proporcionar oportunidades aos nossos associados para expandir seus horizontes, acessando recursos e conhecimentos que impulsionarão a qualidade dos serviços de saúde.”

 

15mai 

Projeto sobre a obra de Chico Buarque divulga versões inclusivas na internet

Antes mesmo de inaugurar as rodas de conversa programadas em universidades e centros universitários catarinenses, a equipe do projeto “Palavra Presa na Garganta” – livro da pianista e produtora cultural Marisa Toledo que analisa o impacto do contexto político dos anos 1960 sobre a poética de Chico Buarque – disponibiliza gratuitamente, via internet, as versões inclusivas da obra. Os três formatos – e-book com descrição de imagens, audiobook com trilhas incidentais do compositor e videobook em Libras – já podem ser encontrados no perfil do Instagram @palavrapresanagarganta.

Marisa Toledo frisa que o propósito dessa iniciativa é garantir o acesso mais amplo possível, por parte de todas as camadas da população. “Espero que o trabalho promova uma reflexão sobre a ingerência violenta do Estado, seja física, psicológica, e que haja consciência sobre a importância da liberdade artística”, sublinha Marisa, produtora com mais de 180 projetos impulsionados via leis de incentivo, à frente da Agência Cultural AqueleTrio.

A concepção das versões acessíveis teve o envolvimento do IMPAR, o Instituto de Pesquisa da Arte pelo Movimento, de Joinville. Iraci Seefeldt, coordenadora de projetos do IMPAR, sublinha a “alegria enorme” da instituição em participar desse projeto, “fruto das ações que temos desenvolvido ao longo dos anos, que reverberaram e se multiplicaram”. A versão para pessoas surdas foi narrada pela experiente intérprete de Libras Núbia Amorim, com 21 anos de profissão. Ela revela o entusiasmo pelo resultado alcançado. “Ver um material dessa relevância sendo produzido respeitando o direito linguístico da pessoa surda me leva crer que dias melhores estão chegando para todos, para que possamos ser respeitados em nossas particularidades”, afirma.

O primeiro bate-papo com estudantes universitários, para marcar o relançamento do livro, será neste dia 29 de maio, às 19h30, no anfiteatro da Univille, em Joinville, encerrando o Maio Cultural, evento que a instituição promove ao longo do mês. As demais palestras já têm datas definidas. Marisa Toledo vai a Concórdia, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFC), dia 6 de junho, às 20h; à Udesc Florianópolis, dia 11 de junho, às 18h; à Udesc Laguna, dia 18 de junho, às 16h; à Furb de Blumenau, dia 25 de junho, às 19h; e finalmente à Uniplac de Lages, dia 2 de julho, às 19h.

Proposta cultural realizada com recursos do governo do Estado de Santa Catarina, pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC), por meio do Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura – Edição 2023, o livro tem o apoio institucional do IMPAR, o Instituto de Pesquisa da Arte pelo Movimento.

30abr 

Robótica no Hospital Dona Helena: equipamento chega a Joinville

Desembarcou nesta segunda-feira, 29, em Joinville, o equipamento que vai compor a nova área dedicada à cirurgia robótica no Hospital Dona Helena, com instalação prevista para a metade de maio. Nos próximos dias, serão finalizadas as obras físicas necessárias para acolher o equipamento no centro cirúrgico do hospital, e a primeira intervenção utilizando o aparelho deve ocorrer em junho. Batizado de Da Vinci Xi, é o robô mais moderno do sistema Da Vinci, fabricado pela norte-americana Intuitive Surgical, pioneira e líder mundial em robótica para a medicina.

Já há três meses, o hospital avança na preparação para a chegada da nova tecnologia. Direta ou indiretamente, cerca de 20% dos profissionais da instituição estarão envolvidos com esse processo, coordenado pelo urologista Ernesto Reggio, médico-chefe do Programa de Robótica do Dona Helena. Vinte médicos já foram credenciados para procedimentos com a robótica. A equipe que atua na linha de frente do programa participou da primeira etapa da consultoria que está sendo conduzida pela enfermeira Gisele Jünger, que já trabalhou na implantação da robótica em oito hospitais brasileiros, com 12 anos de experiência em cirurgia robótica, além de docente no mesmo campo.