Menu

Blog

30mar 

Nutricionista do HDH mostra como fazer a higienização correta de hortaliças e frutas

Gislaine Engelmann, nutricionista clínica no Hospital Dona Helena, de Joinville (SC)

De acordo com um estudo publicado no New England Journal of Medicine, neste ano, o vírus causador da Covid-19 pode ser transmitido pelo ar e após tocar em objetos contaminados – neste caso por meio do ato de levar a mão às mucosas (olhos, nariz e boca). Os cientistas descobriram que o vírus é detectável por até três horas em aerossóis, até quatro horas em cobre, até 24 horas em papelão e de dois a três dias em plástico e aço inoxidável.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária recomenda a utilização de produtos clorados, como hipoclorito de sódio, para tratamento de água para consumo e desinfecção de vegetais e frutas. Apesar de serem eficazes na redução da replicação e destruição de microrganismos, se usados indiscriminadamente, os agentes desinfetantes à base de cloro, em suas várias formas, podem estimular a formação de subprodutos halogenados, como trihalometanos e ácidos haloacéticos, cujo contato frequente e por tempo prolongado pode desempenhar efeitos mutagênicos, carcinogênicos e como disruptores endócrinos.

Dessa forma, com o objetivo de minimizar a contaminação com o vírus Covid-19, sugere-se que os cuidados com frutas e hortaliças em geral devem seguir as seguintes recomendações: ao chegar em casa do mercado ou feira, antes de colocar o hortifrúti na geladeira ou fruteira, se quiser manter armazenado na embalagem original, deve-se lavar as embalagens com água e sabão neutro e borrifar álcool 70% e armazenar na geladeira ou local apropriado. Se for optado por não armazenar na embalagem original, retirar as frutas e hortaliças das embalagens originais, lavar em água corrente, higienizar em solução clorada durante 15 minutos, conforme diluição do fabricante. Após 15 minutos, lavar novamente em água corrente, secar com papel toalha ou centrífuga de alimentos e armazenar os alimentos higienizados em recipientes fechados na geladeira. Se for armazenar frutas fora da geladeira, higienize a casca com álcool 70% e antes do consumo realizar higienização para frutas consumidas com casca em solução clorada conforme citado acima e consumir. A higienização com solução clorada deve ser realizada conforme recomendação do fabricante ou utilizando-se de 1 litro de água potável com adição de 1 colher de sopa de hipoclorito de sódio (2%).

Além da correta higienização, deve-se ter atenção no armazenamento e preparo dos alimentos. Para alimentos que necessitam de refrigeração, manter em temperatura abaixo de 5ºC ou para alimentos que necessitem de cozimento, recomenda-se temperatura acima de 70ºC para retardar a multiplicação de microorganismos. Após o cozimento, refrigerar rapidamente alimentos perecíveis ou cozidos. Sobras de comida não devem ser armazenadas na geladeira por mais de três dias.

25mar 

Com foco no segmento de alto padrão, Daxo moderniza marca

Em trabalho conduzido pela agência Mega, de Joinville, a Construtora Daxo renova a identidade visual de sua marca. O objetivo da mudança conceitual, segundo os responsáveis, é traduzir os diferenciais da construtora, como o requinte dos materiais e acabamentos e o “atendimento impecável, com pós-venda focado na solução do cliente”. Acima de tudo, diz o diretor comercial Wagner Moacir da Silva, a nova marca busca expressar o sentido de “paixão pelo que faz, na forma de pensar, cuidar, planejar e entregar cada empreendimento, com valorização e capricho a cada detalhe”.

De acordo com a equipe da Mega que assina o reposicionamento da Daxo, a nova identidade representa o atual momento que a construtora vem experimentando, e traz para a composição da própria marca alguns atributos presentes nos empreendimentos da construtora. “Queremos reforçar e destacar a personalidade Daxo, com aspectos como a valorização do espaço branco, a leveza das linhas elegantes, finas e retas, além das imagens conceituais produzidas com qualidade”, detalha o diretor da agência, Beto Harger.

Em março, a Construtora Daxo deu início às obras do empreendimento que foi anunciado como o maior e mais luxuoso na história da construção civil em Joinville, o Residencial San Thiago. Com apenas 12 unidades, adota o conceito de residências suspensas, cada um com área total de 915 metros quadrados, 545 metros privativos, e oito vagas de garagem. Fundada em 2013 por Geraldo Bandoch Junior e Valdeci Inocêncio Pereira, a Daxo prevê quatro lançamentos para 2020, em Joinville e Piçarras.

19mar 

Mieloma múltiplo: especialista alerta para diagnóstico precoce de câncer na medula óssea

 

O mês de março é voltado para a conscientização sobre o mieloma múltiplo. Com o objetivo de obter diagnósticos precoces, a data foi fixada pela International Myeloma Foundation (IMF), em alerta sobre os sinais e sintomas da doença. De acordo com Ana Carolina Moreira de Carvalho Cardoso, médica especialista em hematologia e transplante de medula óssea, integrante do corpo clínico do Hospital Dona Helena, de Joinville (SC), o mieloma múltiplo é um tipo de câncer que se origina nos plasmócitos, células da medula óssea responsáveis pela produção de anticorpos que atuam no combate de vírus e bactérias. A doença é mais frequente em homens e pessoas acima de 50 anos, com incidência maior em idosos acima dos 65.

“No mieloma múltiplo, os plasmócitos clonais (derivados de clone de células defeituosas) produzem uma proteína anormal, chamada de proteína monoclonal, que se acumula no sangue e na urina. Além disso, perdem a sua função primária e se multiplicam rapidamente, comprometendo a produção das outras células do sangue. Por isso, os pacientes podem ter anemia e outras alterações, como infecções decorrente dessa redução”, detalha a profissional, informando que a doença também pode afetar os ossos, causando dores e fraturas espontâneas, e os rins, causando disfunção renal.

No início, os pacientes podem ser assintomáticos, o que dificulta o diagnóstico nessa fase. “É importante estar sempre atento aos mínimos sinais, como uma anemia leve, ou uma dor leve que o paciente possa relatar”, ressalta a médica. Quando a doença alcança fases mais avançadas, os principais sintomas se desenvolvem. Entre eles, estão: fraturas (decorrentes da destruição óssea, as chamadas lesões líticas, que acompanham o curso clínico da doença, e que podem surgir de forma espontânea ou por meio de um mínimo esforço); dor nos ossos (especialmente na lombar, nas costelas ou nos quadris, e que piora com o movimento, também decorrente das lesões líticas); fadiga ou cansaço causados pela anemia; infecções (ocupação da medula óssea pelas células do mieloma, aumentando o risco do paciente apresentar quadros infecciosos como pneumonia, infecções do trato urinário, infecções da pele, entre outras); redução do volume da urina (provocada por insuficiência renal, já que as proteínas anormais produzidas pelo mieloma em grande quantidade se acumulam nos rins).

Após a suspeita, o primeiro exame solicitado é a eletroforese de proteínas séricas e urinárias, feito com o objetivo de avaliar as proteínas do plasma e da urina e, consequentemente, diagnosticar um pico anormal das mesmas. O procedimento é realizado juntamente com a imunoeletroforese de proteínas séricas e urinárias do paciente, para determinar o tipo exato da cadeia pesada e leve da imunoglobulina. “Após a confirmação de um pico monoclonal, seguimos com a biópsia de medula óssea, para avaliarmos a quantidade de plasmócitos”, aponta a médica. Outros exames também podem ser solicitados em caso de suspeita elevada e exames iniciais normais. A avaliação óssea pode ser feita por radiografias de corpo inteiro, ressonância magnética, tomografia convencional e tomografia por emissão de pósitrons (PET-CT).

 

Prevenção e tratamento

O mieloma múltiplo é uma doença sem cura até então. “Porém, com as drogas disponíveis, nosso objetivo é permitir que o paciente tenha qualidade de vida por longos períodos”, frisa, informando que existem pesquisas em andamento em busca de medicações mais eficazes. As classes de medicações mais utilizadas no mieloma são agentes alquilantes, imunomoduladores, anticorpos monoclonais e corticoides. A escolha do tratamento, no entanto, depende de vários fatores, entre eles, sintomas apresentados pelo paciente, idade e comorbidades. “O objetivo é manter o paciente em remissão o maior tempo possível. Sabemos que o maior tempo de remissão é alcançado após o transplante de medula óssea, por isso, nos paciente elegíveis, essa é a primeira opção terapêutica após a quimioterapia.”

A radioterapia é indicada nos casos de plasmocitomas (tipo de tumor formado por plasmócitos), controle de dor e em casos de compressões nervosas. “Já evoluímos muito no tratamento do mieloma múltiplo. Quanto antes fecharmos o diagnóstico, melhor conseguimos tratar os nossos pacientes”, sublinha a hematologista. “O que se recomenda para esta e outras doenças malignas é ter uma vida mais saudável. Como podemos mudar os nossos hábitos para tal? Não fumar, não abusar de bebidas alcoólicas, praticar exercícios regularmente, ter uma alimentação rica em frutas, legumes, verduras, grãos e reduzir o consumo de carne vermelha, embutidos e produtos industrializados”, recomenda.

 

11mar 

Construtora inicia as obras de residencial que terá a maior área privada de Joinville

Com unidades de 545 metros quadrados, San Thiago consolida a vocação da Daxo para o segmento de alto padrão
Anunciado como o maior e mais luxuoso empreendimento na história da construção civil em Joinville, o Residencial San Thiago confirma o início das obras para o dia 9 de março. O projeto da Construtora Daxo “nasce para marcar época e consolidar o segmento de alto padrão no município”, orgulha-se o sócio e diretor comercial Wagner Moacir da Silva. Os números chamam atenção. O San Thiago terá apenas 12 unidades, no conceito de residências suspensas, com área total de 915 metros quadrados, 545 metros privativos, e oito vagas de garagem. Segundo os idealizadores, trata-se do maior empreendimento de Joinville em área privada. A entrega está programada para outubro de 2022, restando somente quatro unidades disponíveis – “uma prova de que o mercado imobiliário local demandava projetos dessa magnitude”, sublinha Geraldo Bandoch Junior, CEO da Daxo.
Empresas e profissionais de primeira linha se aliaram ao projeto, como o paisagista Gilberto Elkis, de São Paulo, e a Metroquadrado Arquitetura, de Joinville. A gaúcha Saccaro Móveis vai mobiliar as áreas comuns, que contarão com os sistemas de alto desempenho fornecidos pela Som Maior para sonorização e automação. “Sem dúvida, o San Thiago será um divisor de águas e um legado para Joinville e Santa Catarina”, comemora Wagner da Silva.
A empresa avalia que o mercado imobiliário vive seu melhor momento, nos últimos dez anos. Com todos empreendimentos entregues dentro do prazo prometido ou até um pouco antes, a Daxo foi fundada em 2013 por Geraldo Bandoch Junior e Valdeci Inocêncio Pereira, com uma proposta de se diferenciar em todos os detalhes. Para 2020, estão previstos quatro lançamentos, em Joinville e Piçarras.

05mar 

Irrigação: Viqua investe em soluções sustentáveis e lança produtos

As novas tecnologias podem trazer grandes benefícios para o setor de irrigação, ajudando a poupar tempo, recursos e gerar mais lucros. As soluções inteligentes são, portanto, investimentos estratégicos, capazes de tornar a produção de alimentos mais produtiva e sustentável. A Viqua, que já é líder na fabricação de registros de irrigação, está cada vez mais apostando neste mercado. Completando 25 anos em fevereiro, a empresa anunciou lançamentos para o segmento, abertura de novos clientes em várias regiões do país e ganhos de market-share. As novidades foram apresentadas na convenção nacional de vendas, que reuniu, neste mês, mais de 150 vendedores da empresa em Joinville (SC), onde fica a sede da Viqua.

A irrigação é uma técnica fundamental para a produção de alimentos. Cada vez mais utilizada, essa prática pode ser bastante beneficiada por soluções sustentáveis e inovadoras. “O aumento da população mundial prevê também o aumento da produção de alimentos no futuro. Em um mundo confrontado por problemas socioambientais, porém, é preciso que o processo aconteça de forma sustentável, preservando os recursos naturais e reduzindo os impactos ao meio ambiente”, frisa o presidente da Viqua, Daniel Cardozo Júnior. Nesse contexto, a irrigação é a aliada certa para os produtores. “Com ela, é possível otimizar a aplicação da água, direcionando-a para as regiões com maiores necessidades. Além disso, também é viável produzir mais em um espaço menor — e aumentar a produção em uma área é uma forma de reduzir a necessidade de abrir novas fronteiras agrícolas e o desmatamento”, aponta.

Quem trabalha diretamente no ramo já percebe a evolução no setor, no atual contexto de recuperação econômica do país. Edson Santos, vendedor que atua em São Paulo há 21 anos com a Viqua, está confiante. “O mercado agrícola estava um pouco contraído, o pessoal estava segurando para fazer novos investimentos. Mas a necessidade faz com que se tenha que investir”, analisa o profissional, ressaltando que somente 7% do que se planta hoje no Brasil utiliza irrigação, ou seja, há muita oportunidade. “Os produtores já entenderam que não tem como produzir com qualidade sem irrigação. Às vezes, ele não tem ainda como investir, mas já tem essa consciência, que é totalmente positiva.” A expectativa também é boa no Rio Grande do Sul, onde atua Marco Aurélio Paredes, novo vendedor da Viqua. “O estado está atravessando uma seca bastante severa, ao contrário do resto do país, que está tendo enchentes. Diante desse quadro, eu vendi muito mais em novembro, dezembro e janeiro. A qualidade e a preciosidade da água faz com que a irrigação seja muito importante. Como somos especialistas na eficiência do uso da água, estamos levando essa vantagem ao setor”, observa.

A vantagem provém de investimentos em soluções inovadoras, que trazem mais eficiência para a irrigação, aumentando o seu potencial produtivo. A Víqua tem na linha de produtos para irrigação, produtos que contam com tecnologias avançadas, capazes de garantir mais facilidade na instalação, na realização de ajustes e utilização dos produtos. Como os rotores automatizados, distribuídos pela empresa, que são direcionados por engrenagens, que promovem um maior controle da precipitação. Assim, a distribuição de água é feita corretamente no solo, aumentando o rendimento do recurso. Os bocais rotativos também são ferramentas que unem facilidade de uso e sustentabilidade. Desenhados especificamente para a instalação em aspersores sprays, eles garantem uma irrigação mais homogênea e economia de água quando comparados aos bocais tradicionais.

Já as válvulas PRO 100, disponibilizadas pela Víqua, têm um formato que proporciona maiores vazões com uma perda de pressão mínima. Isso porque conta com diafragma e pistão inclinados, que permitem uma trajetória direta da água. A peça é construída em PVC, o que a torna mais resistente aos raios UV. A empresa também conta, em seu portfólio, com o Pro EX 2.0, um controlador modular de irrigação de programação simples e intuitiva que conta com a maior tela retroiluminada do mercado. Ele pode ser expandido de 4 a 16 estações e mostra, em um visor completo, os dias de rega, o número de horas de irrigação, o número de estações e caso tenha, as programações especiais. O controlador ainda é capaz de identificar problemas de válvula ou fiação no seu sistema e isolar as estações que precisarem de reparos.

Lançamentos para o primeiro semestre

Para o primeiro semestre de 2020, a Viqua prevê três lançamentos para o segmento. Os registros de união dentada de ½” e 1”, que chegam ao mercado em fevereiro, vem como complemento da linha de registros para irrigação. Com corpo produzido em PVC, traz duas novas bitolas ao mix. Também neste mês, a empresa lança, em parceria com a TUPY S.A., uma linha de conexões galvanizadas, sendo que eles são referência em qualidade no ramo de metalurgia no Brasil. Conexões produzidas em ferro maleável preto, garantindo maior segurança e durabilidade. Com instalação fácil e rápida, a linha, que agrega mais 91 itens ao portfólio, é fabricada conforme normas nacionais e internacionais. Em maio, a empresa também apresenta uma nova válvula de poço, produzida em PVC.

Eduardo Mendonça, vendedor da Viqua há 14 anos no setor de irrigação, está confiante com os lançamentos anunciados. “A parceria que a Viqua apresentou com a Tupy foi um avanço muito importante para o segmento de irrigação. Já o lançamento do registro de união dentada era uma espera que a gente tinha há muito tempo, existe um mercado muito grande para esses produtos novos”, ressalta. O profissional, que atua nos Estados da Bahia e Sergipe, está otimista. “O país começou a andar. Viemos de anos de recesso e estamos sentindo uma melhora. A tendência é cada vez mais avançar.”

Para saber um pouco mais sobre a empresa e seus produtos para irrigação, acesse o site.